sábado, 10 de março de 2007

"84 Charing Cross Road"


Uma escritora norte-americana (Anne Bancroft) escreve para uma pequena livraria de Londres, encomendando uns livros.
O dono da livraria (Anthony Hopkins) junta à encomenda uma carta.
E assim começa uma troca de correspondência, de cumplicidade, de segredos, de gostos comuns, que durará décadas.
O ambiente da livraria, pequena, antiga, repleta de preciosidades, as confidências trocadas, a alegria de ambos quando recebem notícias do outro lado do Atlântico, as interpretações fabulosas, as citações de obras importantes.
Filme que passou despercebido nos anos 80, mas que considero magistral.
Diz-me muito.
Revejo-o sempre que posso. Nunca me cansei.
“84 Charing Cross Road”, “A Rua do Adeus” na tradução portuguesa.
Eterno!

13 comentários:

teresamaremar disse...

Mistura de mofo, poeira, idade
:)

paredes a madeira forradas
velhos soalhos em trave
papel
couro

fragâncias. Em promiscuidade. No despertar dos sentidos.


Os livros (do que eles são capazes...)

As livrarias (do que elas são também capazes...)


Missivas,
ou motes em senda, a duas mãos.


"E assim começa uma troca de correspondência, de cumplicidade, de segredos, de gostos comuns, que durará décadas."

Co-(r)respondência porque é troca, reciprocidade...
palavras em falta (urgentes) que se fazem presentes

durando-se, demorando-se
ao tempo resistentes,

sem quilometragem, sem fuso horário

a perdurar.



"A Rua do Adeus"... tenho-o aqui, ao lado,
por vezes a discorrer (porque urge), em outras quieto (em pousio),

porque lembrança,

porque em cada beijo de despedida se começa a regressar

presente, sempre.

Porque sim.


:) adorei o post, mais a imagem

teresamaremar disse...

Charing Cross... bonito de ouvir,

melodioso


Bisâncio, Constantinopla, Istambul

Oklahoma...

Rua dos Douradores,


poderosos que eles são, palavras e sons...

:)

pedrita disse...

eu amo esse filme. aqui no Brasil o nome que colocaram é: nunca te vi, sempre te amei. anne bancroft e anthony hopkins dão um banho de interpretação. beijos, pedrita

Teresa disse...

José,
Duas coisas:
1 - Podemos já acrescentar este filme àquela listagem de traduções parvas que lhe enviei. Acabo de espreitar a dvdgo.com, o título espanhol é outro que tal: La Carta Final.
Nem sei qual será a mais estúpida, se a portuguesa, se a espanhola ou a brasileira.
Ó Pedrita, a menina seria rapariga para me ajudar?
É que eu tenho vindo a fazer uma lista de títulos de filmes traduzidos. Lembra-se, por exemplo, do título do extraordinário "To Kill a Mockingbird" no Brasil?

2 - Como foi que eu deixei passar este filme em branco é para mim um mistério. Passou cá no cinema? Já vi que a Fnac o tem, se não fosse uma certa preguiça ia já buscá-lo. A preguiça e fugir como o diabo da cruz de entrar em centros comerciais...

teresamaremar disse...

Eu sugeria que se procurasse com que título o brindaram os italianos :)

Sempre que vou a Roma, deleito-me a ver os títulos aos livros dados, e, também, sempre me surpreendo porque são lindissimos, por vezes até bem mais sedutores que os originais.

jose quintela soares disse...

Os italianos não traduziram, mantiveram o título original, ainda que encurtado :
"84 Charing Cross".

teresamaremar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
teresamaremar disse...

Pois :) acabei de verificar...

Teresa disse...

Ó José, isto é que vai aqui uma animação!

Já enviei a lista à Pedrita, que me contactou na Gota. E cheira-me que a Teresa também é rapariga para ajudar.

Exemplo: o penúltimo filme do Visconti, que me deu uma trabalheira para descobrir, arranjei-o na Amazon britânica, chama-se no original "Grupo di Famiglia in un Interno". Julgo que o título em português era "Violência e Paixão". Burt Lancaster, Silvana Mangano, Helmut Berger. Em inglês é... "Conversation Piece". Não estamos pois sozinhos no disparate.

teresamaremar disse...

Em português não me parece que eu dê ajuda, já que a isso a Teresa tem acesso, talvez em francês possa acrescentar algo. Mas não sei se é o que lhe interessa, pois também é facilmente acessível.

Contudo, e até estou a sorrir, poderei tentar em persa (tenho uma amiga), não virá com aquele alfabeto algarviado, claro, faremos a devida tradução, mas talvez seja interessante a simbologia, até porque a tradução será feita à luz de outros valores e estares.

Agradará tentar?

elisabete cunha disse...

Lindissímo filme!
Bela semana!

Teresa disse...

A Pedrita deu uma contribuição fantástica. Os títulos no Brasil (principalmente os mais antigos) são do melhor que há. Além de se ter lembrado de mais uns quantos.

E preciso mesmo de ajuda no português, porque tenho a inexplicável mania de só me lembrar dos títulos em inglês. Clássicos como Mrs Miniver, Meet John Doe, It's a Wonderful Life, Mr Smith Goes to Washington... não lhes sei os títulos em português.

Teresa, se quiser mandar-me um mail (está no meu blog A Gota de Ran Tan Plan), eu envio-lhe a lista. Vai rir como uma perdida. Já vai em nove páginas...

Anónimo disse...

Título original: 84 Charing Cross Road
Título no Brasil: Nunca Te Vi Sempre Te Amei

Locations of visitors to this page