quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Doris Day

Quando falamos de Doris Day (nasceu em 1924), lembramo-nos de imediato de uma canção, “Que Será, Será”, que interpretou em 1957 no filme “The Man Who Knew Too Much”, ao lado de uma das “lendas” do cinema, James Stewart.
Ou seja, a canção celebra este ano 50 anos, e toda o mundo a conhece.
É interessante constatar que foi uma música, e não qualquer dos seus 46 filmes, a projectá-la para a fama, dado que, em boa verdade, Doris Day não era uma grande actriz, limitando-se a papéis de “ingénua” sexy e meio apalermada, com grande sucesso, apesar de tudo, nos anos 50 e 60.
Rock Hudson, que com ela rodou muitos filmes, era o divertido galã, e ambos fizeram um par afamado em Hollywood, que os aproveitou na perfeição para grandes receitas de bilheteira.
Talvez “Calamity Jane”, de 1953, seja o seu maior êxito.


4 comentários:

Pedrita disse...

eu adorava ver os filmes da doris day na televisão. preencheram muito a minha infância. beijos, pedrita

Rui Luís Lima disse...

olá josé quintela soares!
Doris Day serviu de modelo ao universo feminino americano, quando se encontrava no apogeu, tanto nas canções como no cinema, ela chegou a estar em número 1 nas cotações de Hollywood, quem diria?
Quando Hitchcock quis fazer um filme com a tal cantora de Las Vegas, muitos ficaram espantados, mas depois os resultados falaram por si... e todos nós nunca mais nos esquecemos dessa canção.
um abraço cinéfilo
paula e rui lima

elisabete do encanto disse...

LINDA LEMBRANÇA!
Beijos

elisabete do encanto disse...

Bela Semana!

Locations of visitors to this page