segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Dirk Bogarde


O pai era o editor de cultura do “The Times” e a mãe era actriz.
Capitão do exército inglês na segunda Guerra Mundial, foi um dos oficiais que desmantelou a rede de campos de concentração de Hitler, experiência que o traumatizou de tal maneira, que durante muitos anos, não quis pronunciar-se sobre o que vira.
Dirk Bogarde (1921 – 1999) participou em cerca de 70 filmes, sempre brilhante, em personagens nem sempre fáceis, mesmo para os grandes actores.
Destaque, entre outros, para “The Servant”, “Death in Venice”, e “The Night Porter”.
Interpretações inesquecíveis.
Não foi um actor popular, mas talvez nunca se tenha preocupado muito com isso.
Nem sempre a popularidade é sinónimo de qualidade.

3 comentários:

Rui Luís Lima disse...

olá josé quintela soares!
dirk bogarde é um dos actores favoritos aqui na casa, desde os tempos em que o descobrimos em "O Criado" a tomar posse da vida do James Ivory, felizmente o filme já está editado em dvd, mas também há entere tants filmes o "Providence" do Resnais, fabuloso mais uma vez, já para não falar nesse opus magnum do Visconti que é a adaptação da obra do Thomas Mann.
já agora por ter falado nele vamos reler um dos seus livros "A Oeste do Pôr do Sol" está editado pela Difel, edição já antiga, de 1987.
abraço cinéfilo

Pedrita disse...

nossa, nunca prestei atenção nesse ator. imperdoável! beijos, pedrita

Maria Antónia, disse...

Tive a sorte de ter ido para Londres muito nova e há mitos anos. Vi muitos filmes com Dirk Bogarde.Tornou-se um dos meus actores favoritos. Hoje tive a sorte de rever na RTP2 "Morte em Veneza". Magnífico, sempre.


Maria Antónia

Locations of visitors to this page