sábado, 4 de agosto de 2007

Jean Seberg


Está muito esquecida, mas a minha geração recordá-la-á sempre.
E bastou um filme, “A Bout de Souffle” de Godard, em que contracenou com Jean-Paul Belmondo.
Esse filme de 1959, absolutamente extraordinário e que marcou uma época do cinema francês, deu ao mundo do cinema uma actriz única, que se tornaria mito também devido à sua turbulenta vida privada e morte precoce.
Participou em outros filmes importantes, como “Bonjour Tristesse”, “The Mouse that Roared”, “Lilith”, e “Paint your Wagon”.
O seu apoio a várias causas criou-lhe problemas sérios com o FBI, e várias depressões que o tempo foi agravando.
Nascida em 1938, Jean Seberg suicidou-se em 1979.
Quem visitar o cemitério de Montparnasse, poderá visitar a sua sepultura.

8 comentários:

teresamaremar disse...

A Bout de Souffle tem algo de curioso... um argumento que nada faria prever um sucesso, um Belmondo laissez-faire/laissez passer, uma Seberg sem saber bem como se entender com a novidade face ao cinema americano, um Godard pouco experiente e a mão de Truffaud. E sai assim, um filme de viragem, com o pé direito a entrar na era moderna.

Durante anos, quando as meninas da minha idade pensavam no corte de cabelo à la garçonne era a imagem dela que vinha como referência :) penso que lhe ficou sempre associado.

Pedrita disse...

realmente o rosto não é estranho, mas não consigo me lembrar ela nos filmes. vou prestar mais atenção. beijos, pedrita

paula e rui lima disse...

olá josé quintela soares!
ela era de uma beleza quase divina, diferente de todas as estrelas.
em "o acossado" ela era a míuda que vendia o Herald tribune e todos lhe fixámos o rosto e os gestos, e a roupa claro.
depois a "loucura" da sua Lilith "levou-nos" a todos à beira do abismo.
ela era/é aquela estrela que recordamos sempre ao percorrer as ruas de Paris.
um abraço cinéfilo e continuação de boas férias
paula e rui lima

Anónimo disse...

jOSÉ

eLA ERA linda demais!!!!


elisabete cunha

isabel victor disse...

Tão bonita ...

Não conhecia este percurso e triste final

Abraço

Lua Obscura disse...

Está esquecida, mas é muito lembrada, principalmente no filme do Godard "A Bout de Souffle", filme intemporal!

Wagner disse...

Ela era uma epifania... uma revelação divina.

A perfeita l´amoureuse, de Paul Éluard.

Wagner disse...

Ela era uma epifania... uma revelação divina.

A perfeita l´amoureuse, de Paul Éluard.

Locations of visitors to this page