sexta-feira, 24 de agosto de 2007

João Villaret

João Villaret.
A maior parte dos que dele se recordam, elegem-no como o maior declamador português. Na minha opinião encabeça um trio constituído por ele, Mário Viegas e Manuel Lereno.
Mas os filmes que interpretou são testemunho de que o seu talento não se confinava à poesia, que disse, repito, como ninguém.
Nasceu em 1913, em Lisboa, e dedicou toda a sua vida ao espectáculo. Integrou desde novo a célebre Companhia Amélia Rey Colaço – Robles Monteiro e depois nos “Comediantes de Lisboa”.
No cinema participou em apenas seis filmes, entre os quais “Frei Luís de Sousa”, “Inês de Castro”, “Camões”, e “O Primo Basílio”. No “Pai Tirano” faz um pequeno papel como mudo, de antologia.
A maior popularidade chega com a televisão, nos anos 50. Aí deu a conhecer ao grande público muitos escritores portugueses, entre os quais Pessoa, de quem tinha sido amigo pessoal, Régio, Botto.
Faleceu em 1961.
Villaret.
Um enorme talento.

10 comentários:

teresamaremar disse...

Aquela forma de tão bem dizer... Por ele, sempre tocarão todos os sinos!

José Quintela Soares disse...

Olá teresamaremar

Inolvidável.
E também o "Cântigo Negro" de Régio, o "Adamastor"...tantos são que não caberiam aqui.
Eu tenho muitos dos programas dele na tv gravados em dvd, e de vez em quando, delicio-me!

Obrigado pelo seu comentário

teresamaremar disse...

Uma vez ele passou em Coimbra (tenho um livro de memórias de estudantes de Coimbra onde a noite, indescritível, é narrada).

O nome dado à noite nos cartazes publicitários... Esta Noite Chove Prata
:)

com Villaret chove prata, ouro, platina :)

Pedrita disse...

não conheço. beijos, pedrita

Rui Luís Lima disse...

olá josé quintela soares!
joão villaret é um nome incontornável, recordo-me de o ver em criança na tv a declamar poesia.
A sua participação em "Camões" de Leitão de Barros é outra das minhas memórias cinéfilas.
Ainda moram aqui em casa uns singles/EP onde recordamos esses belos momentos.
um abraço cinéfilo e bom fim-de-semana

Anónimo disse...

Saudade!!!
:)

elisabete cunha

Neves de ontem disse...

Eu também não conhecia. Cumprimentos.

geocrusoe disse...

Incrível só agora percebi que ele morreu antes de eu nascer. Eu que me deliciei ao ouvir declamar poemas nas RTP-Açores, entre eles todos os já mencionados nos comentários anteriores, nem sequer fui contemporâneo dele! Mas numa época em que a audiência da TV não era escrava do mediano fácil era possível, a horas decentes, recordar o que de bom se tinha feito no passado. Os programas de Villaret ficam neste pacote, por serem capazes de colocar no grande público a melhor poesia que de outro modo não seria conhecida de muitos e aí ele também era actor.

Moacy Cirne disse...

Oi, cheguei aquiu através da Pedrita. De cara, confesso minha ignorância em relação a João Villaret. Mas como cinéfilo gostei das demais postagens, sobretudo a que se refere a Jean Seberg. Espero voltar. Um abraço.

Maria disse...

Um homem de enorme talento.
Dos velhinhos LP's aos actuais CDs e DVDs, delicio-me com a sua voz.
De vez em quando na rtp memória também o vejo, e fico pregada ao écran, como ficava extasiada a olhar para ele a declamar no quadradinho, quando era miúda e ia com o meu avô ver televisão no Grémio, na cidade onde morava.....

Penitencio-me por passar por aqui tão poucas vezes.
É que perco tanto....

Locations of visitors to this page