segunda-feira, 2 de abril de 2007

John Wayne


Pensar em “western” é de imediato recordar a figura deste actor.
E associar a John Ford.
Sem ter a chama dos grandes talentos, personificou o “cowboy” bom, o justiceiro, o homem que colocava os “maus” no seu lugar, derrotando-os.
O seu característico modo de andar, a sua estatura, o seu olhar e a sua voz, tornaram-no uma lenda, inultrapassável até hoje, trinta anos volvidos sobre a sua morte.
John Wayne foi o “herói” de gerações, aquele que queríamos ser “quando fôssemos grandes”, a personagem mítica nas velhas pradarias americanas, quantas vezes montadas nos estúdios de Hollywood.
“Rio Bravo”, “Os Quatro Filhos de Katie Elder”, “El Dorado”… tantos filmes que nos fazem ainda hoje vibrar.
Um actor grande e único.

3 comentários:

Anónimo disse...

Me lembra a infância e os filmes de final de tarde....
Elisabete Cunha

teresamaremar disse...

Western é, sem dúvida, John Waine.

Duas coisas me ocorreram ao ler este post...

a primeira, imediata, uma distante sessão de tarde de tve, em que John Waine surgia numa vozinha aguda dizendo "manitas nel aire" (uma coisa de deixar de cabelos em pé).
[talvez o espanhol não esteja correcto, mas assim soava]

a segunda, como actuarão os westerns sobre os jovens de hoje... serão apenas lúdicos? Ou que valores passarão e que leitura os jovens deles farão?
Existe, de facto, aquela soft versão Kevin Costner, e eu conheço muitos jovens que continuam a gostar de ver os clássicos, mas tanta coisa se modificou.

Um western veicula, essencialmente, um código de honra, bons e maus, em que a justiça se quer arredada e a paga se faz com as mãos, um saber e um dizer de rua, de experiência feito.
E hoje, à luz de tanta psicologia, tanta infância a dizer do trauma, tanta justiça tardia ou mal exercida, os julgamentos modificaram-se... os bons já não são assim tão bons, nem os maus tão maus assim.
Não sei se me estou a fazer entender, mas fica a ideia.

jose quintela soares disse...

Obrigado, teresamaremar, pelo seu pertinente comentário.
Eu penso que, à partida, há hoje em dia, em relação ao meu tempo, uma diferença fundamental : é que hoje não há westerns, enquanto nessa altura, abundavam.
Para além disso, os jogos de computador, sofisticados, cheios de tiros de poderosas armas, arredaram as ingénuas pistolas dos Cowboys para o baú dos "jarretas".
O próprio conceito de Justiça está completamente modificado, como diz e bem.
E mais, para se ver tiros, e ao vivo...basta sair à noite...

Locations of visitors to this page