terça-feira, 25 de setembro de 2007

Spielberg

“Jaws”
“Close Encounters of the Third Kind”
“Indiana Jones”
“E.T.”
“The Colour Purple”
“Hook”
“Schindler’s List”
“Jurassic Park”
“A.I. Artificial Intelligence”
“The Terminal”
“Munich”

Simplesmente…Spielberg.

A lista seria bem mais extensa, se necessário fosse.
Os génios são incapazes de fazer algo errado, ou mal. Ou fraco.
E é preferível nem escrever muito sobre eles.
Agradecer-lhes apenas.

7 comentários:

Rui Luís Lima disse...

Spielberg durante anos foi o wonder-boy do cinema americano, depois de ter o mundo a seus pés, os insucessos de bilheteira com filmes extraordinários, levaram-no a vender a sua participação na Dreamworkers e a percorrer estradas até então desconhecidas, a sua publicidade a "Transformers" é bastante triste, mas as obras-primas permanecem e isso é que contará sempre na história do cinema... para mim ele continua a ser o wonder-boy!
abraço cinéfilo

teresamaremar disse...

Tudo nele é um prazer, quer os imaginários que nos fazem recuar à infância, quer a dureza de outros olhares, a pedir que não esqueçamos.

Anónimo disse...

Que criatividade, não?
beijos!


elisabete cunha

Knoxville disse...

Avéé Spielberg ;)

Carlos Pereira disse...

Um génio, sem dúvida. AI foi o que mais me tocou até à data, e é um dos filmes da minha curta existência. Das mais belas e tristes criações cinematográficas de sempre.

Luís Alves disse...

e como ele amdureceu nos ultimos anos. munique é para mim uma referencia que nunca pensei que spielberg tivesse a coragem ou a vontade de fazer. um grande senhor que muito deu e continua a dar ao cinema

Pedrita disse...

eu gosto do spielberg nos filmes de ação. acho ele maravilhoso. mas não gosto quando ele tenta falar sério. ele acaba sendo muito moralista. beijos, pedrita

Locations of visitors to this page