sábado, 15 de setembro de 2007

Antonioni


Licenciado em Economia e Gestão pela Universidade de Bolonha.
Assistente de Rossellini em 1942.
Realiza o seu primeiro filme em 1950, “Cronaca de un Amore”, que passou despercebido.
Colabora com Fellini no argumento de “The White Sheik” em 1952.
Primeiro grande triunfo internacional em 1960, “L’Avventura”, que retrata, na perfeição, a dificuldade de comunicação entre os homens, tema que o acompanhará ao longo de toda a sua carreira.
E a partir deste filme, os sucessos foram muitos.
Bastaria lembrar “ La Notte”, “L’Eclisse”, “Il Deserto Rosso”, “BlowUp”, “Professione: Reporter” e “Identificazione de una Donna”.
Mas a razão principal do sucesso deste grande realizador, reside sem dúvida, nos filmes que rodou nos anos 60.
Eles revelam o génio criador de Antonioni.

Michelangelo Antonioni (1912 – 2007).
Combinou com Ingmar Bergman, e partiram juntos.
Grandes conversas irão ter!

9 comentários:

teresamaremar disse...

Presumo que sim, que irão ter grandes conversas, eles que tão bem exploraram a falta de diálogo entre os homens.

A Cahiers du Cinéma dedicou um número especial a ambos.

Luís Alves disse...

bela homenagem josé. os último dez minutos de Profissão: reporter, são dos mais fasinantes que já vi, ou (será que não vi?). uma grande mestre e uma influencia no cinema mundial

geocrusoe disse...

Embora vários sejam os grandes filmes de Antonioni... acabo sempre naquela janela e naqueles minutos finais de Profissão Repórter.Não é o fime da minha vida, mas é a sequência cinematográfica lenta que mais gosto de facto na 7ª Arte

Neves de ontem disse...

Obrigada pelo comentário. Uma pessoa muito importante para mim partiu também. Cumprimentos.

Pedrita disse...

maravilhoso!!! beijos, pedrita

H. disse...

O Cronaca di un Amore só pode passar despercebido a quem nunca o tiver visto... Descobri-o há uns meses e é um filmaço... Já no 1º o sr. Antonioni era grande!

Sam disse...

Excelente blog, José.

Está já prometido o regresso habitual a este espaço.

Cumprimentos cinéfilos.

Rui Luís Lima disse...

olá josé quintela soares!
antonioni foi o mestre do silêncio e nunca ninguem como ele retratou o território feminino, basta recordar essa obra-prima, tão esquecida, intitulada "Identificação de Uma Mulher"
abraço cinéfilo
paula e rui lima

Anónimo disse...

perfeito!

grande homem!

elisabete cunha

Locations of visitors to this page