quinta-feira, 14 de junho de 2007

Glenda Jackson


Quando uma actriz tem talento e beleza, é muito fácil tornar-se um ídolo, mas quando só existe a primeira dessas condições, é bem mais difícil.
Glenda Jackson (nasceu em 1936) é um desses casos, um nome incontornável na cinematografia inglesa e europeia, que nada deve à tal beleza, mas cujo talento enorme chegou e sobrou para a colocar no estrelato.
Sendo de raiz uma actriz de teatro, iniciou-se no Cinema em 1963 com “The Sporting Life”, mas foi em papéis controversos, e difíceis de aceitar na época, que Glenda se tornou famosa. “Women in Love” em 1969 e “The Music Lovers”.
E quem esquece o retrato que fez em “Mary Queen of Scots”?
Glenda Jackson, mulher de fortes convicções políticas, abandonou a carreira para entrar na Câmara dos Comuns, para onde foi eleita em 1992 pelo Partido Trabalhista. Mas muito crítica em relação a Blair, situando-se na ala esquerda do Partido.
E os que a recordam nos palcos e nas telas, não se admiram da sua luta em defesa daquilo em que acredita.As suas interpretações bem o demonstraram.

9 comentários:

Teresa disse...

A Grã-Bretanha está de facto cheia de extraordinárias actrizes, e esta é uma delas. E com dois oscars.

Revi há pouco tempo "A Touch of Class" e o "Elizabeth R", que me ofereceram nos anos. Gostava de rever o "The Romantic Englishwoman".
Já o "Mary, Queen of Scotts"... que nunca vi, estou a lembrar-me de alguém que o tem... :)

José Quintela Soares disse...

Olá Teresa

Eu não tenho a certeza se o "Mary, Queen of Scots", que vi há já muitos anos, faz parte da lista de VHS que ainda não cataloguei.
Espero fazê-lo muito em breve.
Se conhece alguém que o tem, em dvd (?), aproveite. A imagem é sempre melhor que nas antigas cassettes.

E ainda sobre Glenda Jackson : Conhece "The Maids", em que esta enorme actriz faz dupla com Susannah York? Eu tenho em dvd, comprei nos EUA. Interessa-lhe?

Teresa disse...

José,

SIM! Interessa-me imenso.

Mary Queen of Scots não está editado em dvd, já tinha procurado (lembra-se de que eu até pensava que se chamava Two Queens?). Houve em vhs na Amazon, mas já não aparece nas buscas, infelizmente.

Um beijo.

Rui Luís Lima disse...

olá josé quintela soares!
aqui está um dos grandes nomes do cinema inglês. "Women in Love" com o Oliver Reed e o Alan Bates provocou escândalo na época e é um excelente filme, foi um dos primeiros filmes que vimos dela e curiosamente o último foi "O Regresso do Soldado", com o Alan Bates e a Julie Christie, num filme comovente. Já "A Inglesa Romântica" infelizmente não conhecemos, o cinema do Losey tornou-se invisível nas nossas salas.
um abraço cinéfilo
paula e rui lima

Anónimo disse...

SAUDADES!
:)

elisabete cunha

pedrita disse...

preciso relembrar com mais calma quem é essa atriz. beijos, pedrita

Teresa disse...

Vim só ver se havia novidades... e detive-me deliciada a ouvir a música inesquecível. A Ponte do Rio Kway...

Um beijo.

Teresa disse...

P. S. E que malcriada sou! Limitei-me a dizer um sôfrego "SIM, interessa-me imenso!" em relação ao The Maids, que não conheço. Desculpe, José.

Também já vi a Susannah York em palco, há uns oito ou nove anos: no An Ideal Husband de Oscar Wilde. Adorava encontrar a versão dela do La Voix Humaine de Cocteau. Apanhei uma vez apenas o fim na televisão. Bem procurei, não está editado.

Um beijo.

Neves de ontem disse...

Não conhecem o conto de Julio Cortázar intitulado "Queremos tanto a Glenda"? É incrível!

Locations of visitors to this page