domingo, 25 de fevereiro de 2007

Annie Girardot



Fez bem em abandonar os estudos de enfermagem. Talvez se tenha perdido uma excelente enfermeira, mas o Cinema ganhou uma óptima actriz.
Que começou pela “Comédie-française”, pelo teatro, sua primeira paixão.
Mas bem cedo foi atraída pelos filmes. E aí, foram determinantes realizadores como Visconti, Vadim ou Lelouch.
Foi, sem dúvida, a actriz preferida dos franceses nos anos 70. Ela encarna o espírito libertador de convenções da mulher de então, os seus personagens são isso mesmo, modernos e pouco dados a tradições.
No entanto, a década seguinte vai fazer quase desaparecer esta actriz.
Perdida em papéis que em nada se comparavam aos já interpretados, Girardot, à semelhança de inúmeros colegas de profissão, deixa de ser iluminada pelas luzes da ribalta. A tal ponto que as gerações actuais pouco conhecerão dela.
A doença de Alzheimer está a terminar com o resto.
Mas permanece na memória de todos aqueles que, durante muitos anos, a apreciaram.

2 comentários:

pedrita disse...

acho curioso como as pessoas se fixam mais em uns atores do que em outros. já vi filmes com ela, caché, por exemplo, mas não consegui lembrar dela, precisei pesquisar. vou prestar mais atenção à essa atriz. beijos, pedrita

carlos disse...

annie girardot, está na mesma "atmosfera" de tudo e todos que elevam a sétima arte (ana magnani, silvana mangano, federico fellini, visconti, ... alberto sordi)

Locations of visitors to this page