segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Canções no Cinema (8)

Na história do Cinema, houve pares românticos para todos os gostos, mas este, formado por Jeanette MacDonald e Nelson Eddy, fez furor.
Ela tinha uma voz portentosa, chegou mesmo a estudar canto para se tornar uma cantora lírica, mas o destino encaminhou-a para os estúdios.
Ele ouvia em criança as gravações de óperas, e tentava imitar as vozes dos grandes cantores.
Ou seja, as suas aspirações artísticas almejavam a Ópera, não o Cinema.
Vamos ouvi-los em “Ah Sweet Mistery of Life”, (Maria Bethânia faria da versão portuguesa um grande sucesso, muitos anos mais tarde), canção que foi escutada e cantada durante todo o trajecto do funeral de Jeanette, por uma multidão absolutamente em histeria.
Uma curiosidade:
Jeanette nasceu em 1901 e morreu em 1965, Eddy nasceu em 1903 e morreu em 1967.
Ou seja, respeitaram sempre as datas marcantes um do outro.

3 comentários:

Pedrita disse...

não lembro. falei no meu blog de um ator português. coloquei pra ilustrar o post telas de artistas portugueses e uma canção do lopes-graça, precisa apertar o play para ouvir, não sei pq o auto play não funciona. beijos, pedrita

teresamaremar disse...

Minha vida que parece muito calma
Tem segredos que eu não posso revelar
Escondidos bem no fundo de minh'alma
Não transparecem nem sequer em um olhar
Vive sempre conversando à sós comigo
Uma voz eu escuto com fervor
Escolheu meu coração pra seu abrigo
E dele fez um roseiral em flor
A ninguém revelarei o meu segredo
E nem direi quem é o meu amor



Quando escuto Bethânia, Casinha Branca e Doce Mistério da Vida são, de há muito, meus sucessivos replays... mas desconhecia esta versão original.

Boa surpresa :)

Chris disse...

sou fascinada pelos clássicos, amei seu blog, já está entre os favoritos!

Locations of visitors to this page