quarta-feira, 23 de julho de 2008

Cinemas que Lisboa teve... (1)


Começo pelo “Monumental”.
Os que se recordam deste Cinema, que também tinha um Teatro, não precisarão de grandes explicações sobre o vazio que o desaparecimento desta inolvidável sala de espectáculos, veio criar.
Os mais novos, aqueles que se habituaram a ver no mesmo local um Centro Comercial igual a tantos outros, certamente não dão conta desta falta.
Lembro bem duas ou três curiosidades no “Monumental”.
A estreia de “Zorba”, filme que esteve mais de 1 ano em cartaz (sim, um ano….), a transmissão em directo dos jogos do Mundial de 1966, a preto e branco, com multidões à porta por já não haver lugares, até aos Bailes de Carnaval que atraíam ao “foyer” a juventude engravatada.
E é bom que se recorde igualmente o responsável por este “crime” da demolição do cinema : Engº Krus Abecassis, ao tempo Presidente da Câmara Municipal de Lisboa.
Nem me importam os motivos.

3 comentários:

Pedrita disse...

nossa, que absurdo. achei que era só no brasil que havia a cegueira cultural e a destruição da nossa história. beijos, pedrita

Rui Luís Lima disse...

Caro José Quintela Soares!
O Monumental esse templo do cinema faz parte das nossas memórias de criança, com o seu écran enorme ali vimos filmes como o "Ben-Hur", "A Conquista do Oeste", "Spartacus", "O Dia Mais Longo" entre outros nos anos sessenta, eramos ainda crianças (altas) que viamos os filmes para 12 anos muito antes da idade, mas uma das mais maravilhosas descobertas nessa sala com a sua enorme plateia e respectivos balcões, foi o "Longe da Multidão", com esse trio inesquecível constituído por Julie Cristie, Alan Bates e Terence Stamp filme que adoramos rever. Se a memória não nos falha o último filme que vimos por lá foi "A Fúria do Herói" já com a sala em mau estado. Nos dias de hoje em Portugal já não existem salas com condições para vermos filmes em 70 mm e como era bom sentirmos a grandiosidade desse écran em frente dos nossos olhos fascinados de crianças ainda de tenra idade, a viver a vida no écran.
Temos que confessar que temos saudades desses tempos em que se esperava nas longas filas para se comprar um bilhete, somos uns nostálgicos desses tempos heróicos do cinema!
Abraço cinéfilo
Paula e Rui Lima

PASSEIO DAS ESTRELAS disse...

Olá José Quintela

O Monumental era só um dos grandes cinemas em Lisboa, que como muitos outros infelizmente desapareceu.
É pena que os nossos governantes destruem esta cidade em nome do progresso, ou quem sabe por outros interesses obscuros.

Locations of visitors to this page